A ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE É BOM PARA JOGADORES DE FUTEBOL JOVEM?

Tradução e adaptação de Mojo

Imagem de https://www.mojo.sport/coachs-corner/is-early-specialization-ever-good-for-young-soccer-players

Antes de tirar conclusões precipitadas, há muito a considerar.

A especialização precoce é um dos tópicos mais polêmicos no esporte na infância e adolescência, e por boas razões.

Na maioria das vezes, as crianças que jogam futebol raramente têm folga do jogo e não têm “férias” reais para se recuperar. É futebol de Janeiro a Janeiro. Não tirar uma temporada de folga pode ser esmagador para a saúde física de uma criança.

Pior ainda, os horários do futebol juvenil estão se tornando mais rigorosos, fazendo com que as crianças não tenham tempo para uma vida pessoal que envolva atividades extracurriculares além do esporte. Isso torna a parte mental tão problemática quanto a física.

Com o abandono do futebol infantil e as taxas de lesões aumentando, professores e pais estão questionando se as crianças devem ou não se concentrar em um esporte desde cedo (para o bem deste artigo, antes dos 12 anos).

Embora essas questões sejam de suma importância, antes de demonizarmos a especialização inicial, devemos examinar todos os seus componentes. É um tópico de várias camadas que precisa ser desvendado antes de discernirmos se é “bom” ou “ruim” para as crianças.

Com isso dito, há dois lados na história da especialização inicial. Primeiro, vamos dar uma olhada em quando isso pode ser benéfico, em vez de prejudicial.

Quando a especialização inicial está OK

Aqui está um caso específico que precisa ser considerado: algumas crianças podem ter uma tremenda paixão pelo jogo de futebol e simplesmente não querem participar de nenhum outro esporte. Se uma criança tem um amor, não tenho certeza se devemos forçá-la a se matricular em outros esportes. Isso é raro, mas não pode ser esquecido.

Mas sabemos que praticar apenas um esporte durante todo o ano em uma idade precoce pode aumentar o risco de lesões por uso excessivo. A solução? Incentive o atleta de esporte único a participar de movimentos fora do futebol, mesmo que não seja em outro esporte organizado. É possível adquirir um menu diversificado de habilidades motoras a partir de brincadeiras ao ar livre em parquinhos, quadras poliesportivas, praças e muito mais. Eu diria que explorar o ar livre é um excelente complemento para uma agenda rígida de futebol. Contanto que uma criança esteja se movendo de uma maneira que promova o equilíbrio, a coordenação e a consciência espacial, isso é uma vitória.

Outra solução é garantir que eles estejam recebendo treinamento adequado de um profissional de força e condicionamento. Na maioria das vezes, os especializados precoces são propensos a lesões por uso excessivo, portanto, garantir que essas crianças estejam construindo força para reduzir essa chance ajudará bastante. Se uma criança estiver trabalhando com um treinador de força qualificado, ela deve ser exposta a uma variedade de movimentos em todos os planos de movimento, como variações de agachamentos, passadas, flexões, variações de elevações de quadril e muito mais.

Por que a diversificação precoce traz grandes benefícios

A diversificação precoce é a antítese da especialização precoce, onde os jovens atletas participam de vários esportes. Inscrever-se em esportes além do futebol é benéfico por vários motivos:

  • Melhora no desenvolvimento de habilidades motoras
  • Maior exposição a uma variedade de padrões de movimento
  • Melhor desenvolvimento cognitivo
  • Maior exposição a novas personalidades e estilos de treinamento
  • Maior exposição a novas táticas
  • Diminuição do risco de lesão por uso excessivo

Como exemplo, o basquete tem muito a oferecer a um atleta de futebol, como resistência anaeróbica, tomada de decisão tática espontânea, resolução de problemas 1 x 1 (drible, corte, finta) e desenvolvimento de velocidade e mudança de direção.

O basquete também oferece novos movimentos que um atleta de futebol pode não obter do futebol, como mais força na parte superior do corpo, poder de rotação e capacidade de esquiva.

Embora isso pareça bonito para o atleta de futebol, pode haver uma ressalva: competir em futebol e basquete ao mesmo tempo. Certamente, os benefícios da diversificação precoce não podem ser maximizados se uma criança estiver sobrecarregada com o desgaste físico e mental de praticar dois esportes simultaneamente. Isso pode levar a lesões por uso excessivo devido à carga crônica ao longo do tempo, e a agenda agitada pode tornar o atleta mais suscetível ao esgotamento.

Então, o que você acha? A especialização precoce é boa para jovens jogadores de futebol?

Antes de tirar conclusões precipitadas, devemos considerar muitos fatores. A criança só quer jogar futebol? Se eles praticam apenas um esporte, eles podem diversificar seu movimento de outras maneiras? Ou, se eles estão dispostos a praticar dois ou mais esportes, eles podem fazê-lo de uma maneira que não veja os esportes se sobreporem em determinado momento do ano?

Devemos manter os interesses e necessidades da criança em mente e gerenciar de acordo. A boa notícia é que não importa o que o jovem atleta escolha, existem maneiras saudáveis de fazer as coisas funcionarem e impulsionar seu desenvolvimento no processo.

E aí, o que achou? Curta, comente, compartilhe, se inscreva na página e continue seguindo para mais!

Um comentário em “A ESPECIALIZAÇÃO PRECOCE É BOM PARA JOGADORES DE FUTEBOL JOVEM?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s