O fenômeno do zíper

Texto traduzido de James Leath. Para artigo original, clique aqui.

“Está travado, socorro!”

Observei uma mãe ao lado de seu filho enquanto ele lutava para fechar o zíper de sua jaqueta.

A princípio, ela instintivamente estendeu a mão para ajudá-lo, mas depois se conteve, parou e abaixou as mãos.

O garotinho deu outra tentativa.

“Que droga!” ele gritou para si mesmo, sentindo uma sensação de fracasso.

Ele olhou para sua mãe pedindo ajuda, mas foi recebido com um sorriso enquanto ela esperava pacientemente.

Não recebendo ajuda de sua mãe, o menino não teve escolha a não ser tentar novamente.

Mais uma vez, o menino não teve sucesso.

Ele jogou as mãos para baixo em derrota.

“Eu não consigo fazer isso”, ele proclamou.

Mamãe sorriu.

Calmamente, com o tom doce que toda criança ouve de sua mãe, ela diz: “Precisamos ir, querido. Tente de novo.”

“Humm!” Ele deu outra chance. Depois de mais cinco segundos de luta, o garotinho frustrado ergueu as mãos e exclamou: “Consegui!”

“Sim, você conseguiu.” Mamãe sorriu para o filho. “Você está pronto para ir?”

“Vamos fazer isso!”

Não há muitas coisas mais satisfatórias para mim do que um bebê sorridente, uma criança animada ou uma juvenil “dança da vitória”. Toda essa situação ocorreu em questão de trinta segundos. Poderia ter sido evitado pela mãe se abaixando e fechando o zíper da jaqueta, mas ela fez uma pausa e o deixou fazer isso. Se ela tivesse intervindo, o menino não teria tido a alegria do triunfo após a luta. Mas a mãe, em sua grande sabedoria, permitiu que o filho fizesse isso de forma independente. Embora fosse difícil ver seu filho lutando, a recompensa da vitória superava a dificuldade do fracasso.

A adversidade é a ferramenta que aguça o caráter de alguém.

Assim como a rocha no riacho moldada pela pressão constante da água, também somos moldados pelas experiências que nos permitem ter. Pense na sutil lição aprendida pelo garotinho naquele momento. Ele experimentou o fracasso, o sucesso e a propriedade do processo em apenas alguns segundos.

Ele tentou.

Ele falhou.

Ele tentou novamente.

Ele falhou novamente.

Então, ele conseguiu.

Com um pouco de trabalho duro do menino (e alguns momentos de paciência da mãe) o menino aprendeu uma lição valiosa na vida sobre trabalhar duro para atingir um objetivo. Agora, é duvidoso que qualquer criança triunfe sobre a adversidade e grite: “Veja o meu caráter crescer!” mas sabemos que é isso que está acontecendo.

Esta semana, procure situações na aula/treino, competição ou vida em que a criança está lutando. Deixe-os lutar um pouco antes de intervir (desde que seja seguro), e a recompensa superará a luta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s